A Importância da Retranca

Publicado em 02/07/2015 00:00
A Importância da Retranca

 

A Importância da Retranca

(Segundo Victor Fernandez)
 

Retrancas de windsurf são muito provavelmente um dos itens mais subestimados do equipamento no mercado. Muito pouco tem sido feito em termos de testes e ainda assim elas tem um papel fundamental na conexão velejador x vela.

Estudos científicos comprovaram recentemente, que muito do mito por detrás de retrancas de windsurf estava correto. Como exemplo, pode ser citado que retrancas mais grossas (D=32mm) nos dão um atrito maior na parte dos dedos e por esta razão fadigam mais o velejador que retrancas mais finas (D=28mm ou menos). Somado a isto, se você tiver uma retranca mais grossa, combinado com luvas de dedos completos, a fadiga será significativa maior que se usar luvas com palmas abertas (ou totalmente sem luvas).

 

 

Com dois tipos principais de retranca no mercado, as escolhas são talvez bastante limitadas. Por um lado temos as econômicas, multi-uso de alumínio e por outro, as de carbono. Normalmente 100% carbono (mas não necessariamente), a retranca de carbono é de longe superior, mas a grande questão aqui é: vale a pena a diferença de preço? A seguir as 5 principais razões, enumeradas pelo superstar Victor Fernandez, do porque a retranca de carbono é melhor.

 

Rigidez

Retrancas de carbono são conhecidas por serem muito mais rígidas que as de alumínio, e isto transmite ao velejador uma ótima sensação, com uma resposta muito mais direta e rápida de seu rig.

Sim, entendo que as retrancas de carbono foram um grande avanço no windsurf. Retrancas mais rígidas me deram uma sensação de leveza na vela. Acho que as retrancas de alumínio são boas para velejadores mais leves, porque conseguem uma sensação mais soft de suas velas pequenas, conseguindo mais controle quando sobre velados. Mas para velejadores pesados, é muito melhor utilizar retrancas de carbono, pois a rigidez das mesmas lhe dá uma sensação de leveza e as retrancas de carbono aguentam melhor o esforço quando aterrissando de algum salto.

 

Resistência

Obviamente todos nós sabemos que carbono é mais forte que alumínio, mas além do fato do carbono não se curvar quando enfraquece, ele permanece resistente e mantém seu formato durante toda sua vida útil.

Sim, carbono é mais forte, mas nem sempre é a melhor opção. Exemplo disto é se você está viajando para um point com muitas pedras (Cabo Verde por exemplo). Retranca de alumínio pode ser uma boa opção, porque se você acabar caindo nas pedras, pode ocorrer da retranca entortar e ainda permitir velejo (ao menos para sair do apuro), mas não quebrará como muito provavelmente ocorrerá com a de carbono (que neste quesito perde pontos).

 

Peso

Carbono é com certeza mais leve e a rigidez do carbono, pode lhe dar uma sensação de leveza comparado ao alumínio. Integrado a um mastro RDM (Skinny), deixará o rig completo mais leve e fácil de velejar.

 

 

Tempo de resposta

Prefiro carbono ao alumínio, porque carbono é mais rápido e preciso na resposta na realização de manobras. A vela responde responde muito mais rápido e quase dá a sensação de ter mais power (torque) nas mãos, mas ainda com o mesmo controle. Em essência, você tem mais de sua vela usando uma retranca de carbono.

 

Transporte

Penso que para transporter equipamento em aeroportos e vôos, não existe na pratica muita diferença. Talvez no peso quando você precisa viajar com limite preciso, permitindo alguns Kg a mais de peças de reposição.


Fonte: http://www.boardseekermag.com/features/importance-boom-choice-w-victor-fernandez#hdrqA2CDj6f387IZ.99

 

 

Bons ventos a todos,

 

Carlos Jürgens

 

 

comments powered by Disqus